(12) 3883-5669 / (12) 3883-5222 / (12) 3883-3482 / (12) 3882-6101 | (12) 98895-0372

Voo de Paraglider

Voo de Paraglider em Caraguatatuba
Voo de Paraglider em Caraguatatuba
17 dez

Voo de Paraglider

Em Caraguatatuba o local de salto é o Morro Santo Antônio que é o mirante da cidade que conta com uma visão única da cidade e da baía de Caraguatatuba e ao fundo a cidade de Ilhabela.

Voo de Paraglider em Caraguatatuba

Voo de Paraglider em Caraguatatuba

Dica: A Rede de Hotéis 3 Poderes tem preços especiais para adeptos deste esporte.

Vôo Esportivo

Voo Livre - Hotel Mar CaraguatatubaFull stall: quando o piloto atua profundamente em ambos os batoques e desmancha completamente a aerodinâmica do equipamento. É uma manobra de homologação, o que significa dizer que é a mesma feita pelos profissionais das fábricas quando testam os equipamentos e deve ser realizada sobre a água.

Voo de Paraglider - Hotel Mar CaraguatatubaFront Stall: quando o piloto puxa os dois tirantes dianteiros, que são as fitas que prendem todas as linhas do piloto ao equipamento, simultaneamente, provocando um fechamento do bordo de ataque do equipamento. Serve para perder altura. Um paraglider possui três tirantes (A, B e C).

Assimétricas: é o fechamento de um dos lados do equipamento, somente de uma asa. Serve para treinamento de simulações de fechamento.

B-stall: quando o piloto traciona simetricamente o tirante B, deformando o equipamento na linha longitudinal, fazendo com que a manobra seja de descida.

Espiral: o piloto dá um giro centrifugado de 360 graus. É a manobra que faz perder mais altitude rapidamente e é de descida.

Voo de Paraglider - Hotel Mar CaraguatatubaNegativa: o piloto dá um giro negativo e estola um dos lados do equipamento. É uma manobra de homologação. Estolar é derrubar um ou dois lados do equipamento para que ele deixe de voar.

Voo de Paraglider - Hotel Mar CaraguatatubaNegativa com saída em full: é uma manobra avançada, na qual um piloto, num curso de segurança, faz uma negativa e recupera o velame fazendo um full stall.

Orelhão: o piloto traciona determinadas linhas e o equipamento fecha as pontas, diminuindo a área e, conseqüentemente, aumentado a taxa de descida. Serve para descer mais rápido.

Looping: é uma manobra que, atualmente, poucos pilotos estão testando e tentando fazer. É um giro completo no eixo do equipamento.

Essas manobras são utilizadas no vôo livre e para realizá-las o piloto deverá ter feito alguns cursos que são: Básico, que dá as noções inicias, e o Intermediário, para quem vai permanecer no esporte, pois dá aprofundamento na parte teórica e prática.

Se o piloto quiser aumentar seus conhecimentos, poderá fazer aulas de Simulação de Incidentes de Vôo (SIV). Para isso, ele deverá ter mais de 60 vôos.

A dica foi dada. Quem tiver interesse em experimentar ou até mesmo em se profissionalizar no parapente, já tem uma idéia de como o esporte é grandioso e as possibilidades de evolução e desenvolvimento que o atleta tem através de suas manobras e cursos. Mas para isso, não se esqueça, é necessário estar bem preparado.

Deixe uma resposta